Loading...
Sep 24, 2018 Last Updated 3:35 PM, Sep 24, 2018

Conselheiros de olho vivo

FOTO REPRODUÇÃO FOTO REPRODUÇÃO APARENTEMENTE EM bom estado, casacos e tênis eram guardados num depósito municipal
Publicado em Polícia
Ler 541 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Polícia Civil vai investigar denúncia de que Prefeitura de Itaguaí pretendia incinerar duas toneladas de uniformes escolares e de materiais afins

 FISCALIZAÇÃO A atuação de integrantes do Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (CACS Fundeb) pode ter evitado um caso de escandaloso desperdício de material sob responsabilidade da Secretaria de Educação de Itaguaí. É que os conselheiros denunciaram à polícia que na manhã de ontem  cerca de duas toneladas de bermudas, camisas, tênis e bobinas de tecidos estariam sendo transportados para incineração. A Polícia Militar foi chamada e o prédio de onde saía um dos caminhões foi temporariamente interditado. A responsável pela confecção da prefeitura, bem como os conselheiros foram para a 50ª DP (Itaguaí), onde foi feito um registro de ocorrência.

Um dos agentes de plantão informou ao ATUAL que a denúncia dava conta de que duas toneladas de material estariam seguindo para incineração por estar contaminado e até roído por rato. Ele disse, no entanto, que segundo os conselheiros, parte do material está em boas condições. Após a denúncia foi feito um auto de depósito do material apreendido, que ficará à disposição para a perícia. A abertura de inquérito vai depender do laudo pericial, que segundo os trâmites normais pode levar até 30 dias para ser emitido. Somente com o laudo conhecido a Polícia Civil pode tipifica se houve crime e, consequentemente, definir a abertura de inquérito.

À tarde, a Secretaria Municipal de Educação de Itaguaí publicou nota no site oficial na internet, informando que dispõe de laudos atestando que os uniformas estão condenados para uso em razão da contaminação por urina de ratos e fezes de morcegos. A nota diz ainda que os uniformes foram abandonados pelo governo anterior.

Vereador acompanha apreensão

Vice-presidente da Câmara Municipal de Itaguaí, o vereador André Amorim acompanhou a ação dos conselheiros e foi ao local em que o material estava armazenado. Ele disse à reportagem que depois de ser comunicado por alguns conselheiros foi até o local, onde constatou vários sacos pretos de lixo cheios de bermudas, camisas e tênis. Segundo o vereador, todo o material estava sendo colocado dentro de uma caçamba de caminhão.

André Amorim disse ainda que a responsável pela confecção da prefeitura informou que os uniformes seriam incinerados porque estavam impróprios para uso por estarem sujos com fezes e urina de ratos. Ainda de acordo com o parlamentar, a responsável pela confecção informou também que por questões técnicas o material não poderia ser descontaminado. Ele disse também que perguntou à funcionária prefeitura se havia laudo de algum órgão área da saúde atestando a necessidade de inutilidade do material. Ela respondeu que o documento existe, mas não estava em seu poder. “Lá, no momento, nenhum documento que justificasse isso me foi apresentado”, disse o vereador.

A Polícia Militar esteve no local e conduziu o caminhão até a 50ª DP (Itaguaí), com as caçambas em cima cheias de material. O vereador disse que os responsáveis pelo transporte alegaram que houve uma licitação e que  havia um contrato assinado com a prefeitura, no mês de maio, para a prestação do serviço de remoção do material. André Amorim, no entanto, garantiu que teve acesso à cópia do contrato.

Indignado, o vereador questiona se o material chegou realmente a ser infectado com fezes e urina de ratos e em que condições ele estava armazenado. “É preciso saber em que condição esse material foi armazenado, tendo em vista que ah! É da gestão passada! Mas a atual gestão já tem 18 meses. Não se contamina uma quantidade tão grande de material de uma hora pra outra. Isso vem ao longo dos tempos acontecendo”, arrematou André Amorim, acrescentando que, segundo uma testemunha, na segunda-feira (18), outro caminhão saiu do depósito lotado desse tipo de material.